“Esse quebrar-se a si mesmo, esse zombar da própria natureza (…), ao qual as religiões deram tanta importância, é na verdade um altíssimo grau de vaidade. Toda a moral do Sermão da Montanha faz parte disso: o ser humano tem verdadeiro prazer em violentar-se com exigências exageradas, e depois endeusarem sua alma com esse algo tirânico e exigente. Em toda moral ascética o ser humano reza para uma parte de si mesmo como um Deus, e por isso necessariamente tem de demonizar a outra parte.”

Nietzsche

Livro: Nietzsche: biografia de uma tragédia (Geração Editorial, 2017) | Autor: Rüdiger Safranski | Páginas: 177 a 178

“Quando uma cultura envelhece e o círculo de todos os sentimentos naturais foi percorrido incontáveis vezes, deve-se encontrar uma nova espécie de encantos na vida. Talvez o cristianismo fosse um novo encanto da vida. Ele oferecia ao convertido um drama espiritual de pecado e redenção.”

Rüdiger Safranski   

Livro: Nietzsche: biografia de uma tragédia (Geração Editorial, 2017) | Autor: Rüdiger Safranski | Páginas: 176 a 177 | Os textos em itálico são trechos da obra de Nietzsche.

“Especialmente no cristianismo, existe a tendência de sentir-se pecador. De onde vem esse sentimento, o que há por trás dele? É espantoso que o ser humano se considere mais negro e pior do que realmente é.”

Rüdiger Safranski   

Livro: Nietzsche: biografia de uma tragédia (Geração Editorial, 2017) | Autor: Rüdiger Safranski | Página: 176 | O texto em itálico é um trecho da obra de Nietzsche.

🔖 Leia outra frase que fala sobre o mesmo tema:

“A ação pela qual alguém, com o maior perigo para a sua vida, tenta salvar pessoas de um naufrágio, acabando por perder a vida, pode ser considerada, por um lado, como dever, mas por outro, na sua maior parte, como uma ação meritória; mas a nossa estima por essa ação é muito diminuída quando analisamos o conceito do dever para consigo mesmo, que aqui parece ser desprezado.”

Immanuel Kant   

Livro: Crítica da razão prática (Martin Claret, 2006 – Publicado originalmente em 1788) | Autor: Immanuel Kant | Páginas: 167 a 168

🔖 Leia outras frases que abordam o mesmo tema:

“(…) Deus, enquanto ser primordial universal, é também a causa da existência da substância (uma proposição que não se pode rejeitar sem que se rejeite, ao mesmo tempo, o conceito de Deus como ser de todos os seres e, consequentemente, a sua suficiência relativamente a tudo, da qual tudo depende na teologia) (…).”

Immanuel Kant   

Livro: Crítica da razão prática (Martin Claret, 2006 – Publicado originalmente em 1788) | Autor: Immanuel Kant | Página: 110

🔖 Leia outra frase que expressa a mesma ideia:

“Milagres não são contraditórios à natureza, mas sim ao que sabemos sobre a natureza.”

Santo Agostinho  

Livro: O milagre da manhã: o segredo para transformar sua vida (antes das 8 horas) (Best Seller, 2024 – Primeira publicação em 2012) | Autor: Hal Elrod | Página: 25

“Fiquei maravilhado quando tentei esse plano de oferecer uma oração de agradecimento por tudo que eu já possuía, pois assim descobri a vasta riqueza de que já dispunha e não apreciava.”

Napoleon Hill   

Livro: Mais esperto que o Diabo (CDG, 2022 – Escrito originalmente em 1938) | Autor: Napoleon Hill | Página: 40

🔖 Leia outras frases que falam sobre o exercício da gratidão:

“Naturalmente, o imensurável não pode atender ao que tem medida, ao que é insignificante, pequeno. Mas quem é que responde? Quando rezamos, estamos relativamente silenciosos, em estado de receptividade; então nosso próprio subconsciente produz uma clareza momentânea.”

J. Krishnamurti  

Livro: A primeira e última liberdade (Cultrix, 1981 – Primeira publicação em 1954) | Autor: J. Krishnamurti | Página: 179

“É isso o que desejamos: queremos aquela mesma felicidade, aquela mesma tranquilidade, aquela mesma alegria interior e, no meio de toda esta insana confusão, desejamos alguém que nos ensine o que fazer.”

J. Krishnamurti  

Livro: A primeira e última liberdade (Cultrix, 1981 – Primeira publicação em 1954) | Autor: J. Krishnamurti | Página: 135

🔖 Leia outra citação que aborda o mesmo tema:

“Apesar do fato de ainda não ter sido mostrado para mim como ou de que fonte eu seria capaz de receber os recursos necessários, eu tinha fé inabalável de que o dinheiro estava vindo ao meu alcance – na verdade conseguia enxergá-lo já em minha posse.”

Napoleon Hill   

Livro: Mais esperto que o Diabo (CDG, 2022 – Escrito originalmente em 1938) | Autor: Napoleon Hill | Página: 33

🔖 Leia outras citações que expressam a mesma ideia:

“Pela aceitação de crença compreendemos a nós mesmos? Ao contrário. Uma crença, religiosa ou política, impede-nos, obviamente, a compreensão de nós mesmos. É como uma cortina, através da qual nos olhamos, a nós mesmos.”

J. Krishnamurti 

Livro: A primeira e última liberdade (Cultrix, 1981 – Primeira publicação em 1954) | Autor: J. Krishnamurti | Página: 51

“Se refletirdes, vereis que o temor é uma das razões do desejo de aceitar uma crença. Se nenhuma crença tivéssemos, que nos aconteceria? Não ficaríamos aterrorizados com o que poderia acontecer? Se não tivéssemos nenhum padrão de ação, baseado em crença – crença em Deus, ou no comunismo, ou no socialismo, no imperialismo, ou em alguma espécie de fórmula religiosa, algum dogma pelo qual somos condicionados – sentir-nos-íamos perdidos, não?”

J. Krishnamurti  

Livro: A primeira e última liberdade (Cultrix, 1981 – Primeira publicação em 1954) | Autor: J. Krishnamurti | Página: 51