“A riqueza, como uma árvore, cresce a partir de uma simples semente. A primeira moeda de cobre que economizar será a semente a partir da qual sua árvore de riqueza crescerá. Quanto mais cedo plantá-la, mais cedo a árvore crescerá. E quanto mais fielmente alimentar e regar essa árvore com economias constantes, logo chegará o dia em que poderá abrigar-se em pleno contentamento embaixo de sua sombra.”

George S. Clason  

Livro: O homem mais rico da Babilônia (HarperCollins, 2017 – Primeira publicação em 1926) | Autor: George Samuel Clason | Página: 28

“Os pensamentos da juventude, são luzes resplandecentes que brilham como meteoros que muitas vezes tornam o céu reluzente, mas a experiência dos mais velhos assemelha-se a estrelas fixas que, sem mudar de lugar, auxiliam o marinheiro a orientar seu curso.”

George S. Clason  

Livro: O homem mais rico da Babilônia (HarperCollins, 2017 – Primeira publicação em 1926) | Autor: George Samuel Clason | Página: 27

“Quando a juventude busca o conselho dos mais velhos, ela recebe a sabedoria dos anos.”

George S. Clason  

Livro: O homem mais rico da Babilônia (HarperCollins, 2017 – Primeira publicação em 1926) | Autor: George Samuel Clason | Página: 26

“A riqueza de um homem não se acha na bolsa que ele carrega. Uma bolsa gorda logo fica vazia se não houver um constate fluxo de ouro.”

George S. Clason  

Livro: O homem mais rico da Babilônia (HarperCollins, 2017 – Primeira publicação em 1926) | Autor: George Samuel Clason | Página: 20

“Os fatos sociais só podem ser explicados por fatos sociais.”

Émile Durkheim     

Livro: As regras do método sociológico (Martin Claret, 2006 – Publicado originalmente em 1895) | Autor: Émile Durkheim | Página: 103

🔖 Leia uma citações de Spinoza que expressam a mesma ideia:

“A liberdade de pensamento de que gozamos hoje nunca poderia ter sido proclamada se as regras que a proibiam não tivessem sido violadas antes de serem solenemente abolidas.”

Émile Durkheim     

Livro: As regras do método sociológico (Martin Claret, 2006 – Publicado originalmente em 1895) | Autor: Émile Durkheim | Página: 87

“Segundo o direito ateniense, Sócrates era um criminoso, e a sua condenação nada tinha de injusto. Contudo, o seu crime, a saber, a independência do seu pensamento, era útil não só à humanidade mas também à sua pátria: servia para preparar uma moral e uma fé novas de que os atenienses necessitavam naquele momento, porque as tradições de que tinham vivido até então já não estavam em harmonia com as suas condições de existência.”

Émile Durkheim     

Livro: As regras do método sociológico (Martin Claret, 2006 – Publicado originalmente em 1895) | Autor: Émile Durkheim | Páginas: 86 a 87

“O crime é necessário; está ligado às condições fundamentais de qualquer vida social mas, precisamente por isso, é útil; porque estas condições de que é solidário são elas mesmas indispensáveis à evolução normal da moral e do direito.”

Émile Durkheim     

Livro: As regras do método sociológico (Martin Claret, 2006 – Publicado originalmente em 1895) | Autor: Émile Durkheim | Página: 86

“O crime é normal porque uma sociedade isenta dele é completamente impossível.”

Émile Durkheim     

Livro: As regras do método sociológico (Martin Claret, 2006 – Publicado originalmente em 1895) | Autor: Émile Durkheim | Página: 83

“Há talvez muitos outros casos em que a perturbação causada pela doença é insignificante quando comparada à imunidade que confere.”

Émile Durkheim     

Livro: As regras do método sociológico (Martin Claret, 2006 – Publicado originalmente em 1895) | Autor: Émile Durkheim | Página: 72

🔖 Esta frase expressa a ideia de antifragilidade desenvolvida por Nassim Nicholas Taleb. Leia o conceito:   

“A ciência, diz um autor já citado, pode esclarecer bem o mundo, mas deixa a noite nos corações; compete ao coração achar a sua própria luz.”

Émile Durkheim     

Livro: As regras do método sociológico (Martin Claret, 2006 – Publicado originalmente em 1895) | Autor: Émile Durkheim | Página: 68

“Pois o que é bom é o que é em conformidade com a natureza das coisas; o contrário é mau, e os meios para atingir um e evitar o outro derivam dessa mesma natureza.”

Émile Durkheim     

Livro: As regras do método sociológico (Martin Claret, 2006 – Publicado originalmente em 1895) | Autor: Émile Durkheim | Página: 43

“Esta pressão permanente exercida sobre a criança é a própria pressão do meio social que tende a moldá-la à sua imagem, e do qual os pais e os professores são meros representantes e intermediários.”

Émile Durkheim     

Livro: As regras do método sociológico (Martin Claret, 2006 – Publicado originalmente em 1895) | Autor: Émile Durkheim | Página: 35

“Observe o modo que são educadas as crianças. Quando reparamos nos fatos tais como são, e como sempre foram, salta aos olhos que toda a educação consiste num esforço contínuo para impor à criança maneiras de ver, de sentir e de agir às quais ela não teria chegado espontaneamente. Desde os primeiros tempos da sua vida que a obrigamos a comer, a dormir, a beber nas horas certas. Obrigamo-la à limpeza, à calma, à obediência. Mais tarde, obrigamo-la a ter em conta os outros, a respeitar os usos, as conveniências, a trabalhar, etc., etc.”

Émile Durkheim     

Livro: As regras do método sociológico (Martin Claret, 2006 – Publicado originalmente em 1895) | Autor: Émile Durkheim | Página: 35

“Somos, então, vítimas de uma ilusão que nos faz acreditar termos sido nós quem elaborou aquilo que se nos impôs do exterior.”

Émile Durkheim

Livro: As regras do método sociológico (Martin Claret, 2006 – Publicado originalmente em 1895) | Autor: Émile Durkheim | Página: 34

“Peça feedback a pessoas com origens distintas. Cada uma lhe dirá uma coisa útil.”

Steve Jobs 

Livro: O milagre da manhã: o segredo para transformar sua vida (antes das 8 horas) (Best Seller, 2024 – Primeira publicação em 2012) | Autor: Hal Elrod | Página: 177